Última atualização em 17/05/2024 às 07:48:02

Unidade da Altenburg localizada em Socorro recebe apoio do Governo do Estado e gera uma média de 200 empregos diretos, com expectativa de expansão
Com o objetivo de promover conforto e bem-estar para seus consumidores por meio de seus produtos, a fábrica Altenburg tem atuado vigorosamente no setor têxtil sergipano desde a sua implantação, em 2010, no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro, na região metropolitana de Aracaju. A empresa catarinense foi fundada em 1922 e figura como um dos maiores fabricantes de travesseiros do Brasil e da América Latina.

A unidade fabril localizada em Sergipe recebe apoio do Governo do Estado, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), conduzido pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec).

Atualmente, a empresa industrial produz mensalmente uma média de 500 mil peças e gera cerca de 200 empregos diretos. Entre os artigos produzidos estão edredons, colchas, roupas de cama, protetores, travesseiros e toalhas, com distribuição para diversos estados, com foco no norte e nordeste. A Altenburg conta ainda com uma expectativa de ampliar o quadro de funcionários, atingindo em torno de 300 trabalhadores atuando diretamente na fábrica.

“É uma satisfação possuir uma unidade fabril do porte e da qualidade que a Altenburg representa, em território sergipano. Além disso, reconhecemos a contribuição que a empresa possui para o desenvolvimento da região metropolitana de Aracaju e para a geração de emprego e renda local”, pontua o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

Mão de obra local

O gerente geral da Altenburg, Roberto Carlos Zamprogna, fala sobre o impacto da empresa na geração de renda para a população socorrense. “São muitas famílias inteiras que atualmente são contratadas pela fábrica, têm outras que são formadas por pais, esposos ou filhos trabalhando aqui dentro. A gente dá prioridade de contratação para famílias da região”, salienta o gestor.

A repositora da empresa, Raquel Lima de Jesus, já atua na Altenburg há três anos e compartilha sua experiência com o desenvolvimento dos produtos. “É um processo delicado, mas também é muito importante. Aqui eu abasteço as meninas com as peças que a gente precisa produzir e todo o insumo que elas precisam para o processo andar”, explica.

Desenvolvimento

Além da mão de obra qualificada, a Altenburg conta com a assistência de equipamentos modernos, tanto no processo de produção industrial, quanto na execução de atividades administrativas. “Estamos aproveitando principalmente a Inteligência Artificial dos equipamentos modernos. A gente aproveita muito a tecnologia na parte de softwares para reuniões, treinamentos, e também no RH [Recursos Humanos], voltado para sites de acompanhamento na avaliação de desempenho”, relata Roberto Zamprogna.

O presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, salienta a importância do PSDI para a empresa e para o fortalecimento do setor industrial e o desenvolvimento socioeconômico em Sergipe. “Os incentivos oferecidos pelo Governo de Sergipe, por meio do PSDI, tem possibilitado que as empresas se instalem de forma acessível  e com redução tributária, como é o caso da Altenburg. A Codise está de portas abertas para apoiar as empresas a se instalarem ou ampliarem suas operações no estado”, completa.

Ampliada em 2021, a empresa passou de 7,5 metros quadrados para 18 mil metros quadrados de área construída, em um investimento de R$ 30 milhões. Além do incentivo fiscal, por meio do programa estadual PSDI, a fábrica conta também com incentivos de âmbito federal por intermédio da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).