Última atualização em 17/05/2024 às 07:48:02

Em Estância, indústria da Ambev recebe incentivo estadual e gera mais de 900 empregos diretos e indireto

Dias de calor aquecem também as vendas de bebidas, como é o caso da indústria da Ambev em Sergipe, a Cervejaria Águas Claras. Localizada no município de Estância, no sul do estado, a fábrica recebe o apoio fiscal do Governo de Sergipe e produz mais de um milhão de litros de bebidas por dia. Durante a estação mais quente do ano, a indústria prospecta um aumento de 20% nas vendas. A fábrica sergipana gera 374 empregos diretos e 538 indiretos.

As maiores produções da Ambev em Sergipe são as cervejas Skol e Brahma, e os refrigerantes Guaraná Antarctica e Pepsi, segundo conta a diretora da indústria, Fernanda Aldunate. Na fábrica, também são produzidas as cervejas Antarctica, Bohemia, Original e, feita especialmente para Sergipe, a cerveja Abiúda, produzida com laranjas locais.

A criação da cerveja sergipana Abiúda faz parte de um projeto da Ambev que busca desenvolver cervejas com ingredientes locais. “Identificamos matérias primas naturais da região. Na Abiúda, além da cevada de malte, utilizamos suco e cascas de laranja, particularidades de Sergipe. As laranjas são oriundas da produção dos pequenos produtores locais”, destaca Fernanda Aldunate.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa, ressalta a importância da unidade fabril. “É uma indústria que fortalece a economia local, a geração de emprego e renda não somente para o município de Estância, mas para diversas cidades circunvizinhas e o estado de Sergipe como um todo”, aponta.

Incentivo para empregos

Desde 1996, a fábrica existe em Estância. Para estimular a instalação, o Governo de Sergipe ofertou o incentivo fiscal, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). “Com os incentivos estaduais, a gente investe mais, gera mais emprego direto e conseguimos investir em tecnologia, que traz muitos conhecimentos para as pessoas que trabalham com a gente. Isso não seria possível sem o apoio do Estado”, completou a diretora Fernanda Aldunate.

A geração de empregos é um dos principais objetivos do PSDI, ofertado por meio da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), como reforça o presidente do órgão, Ronaldo Guimarães. “O PSDI é um dos mais atrativos programas para instalação de indústrias do Brasil, com incentivos fiscal e locacional. A Ambev tem o incentivo fiscal desde 1996 e gera muitos impactos positivos para a economia sergipana”, avalia Ronaldo.

A fábrica gera oportunidades não somente para os conterrâneos de Estância, mas também para moradores de outros municípios, como Lagarto, Itaporanga, Aracaju e Salgado. A técnica em eletroeletrônica Lilian Avelino é salgadense e trabalha há dez anos na indústria. “Essa fábrica é de grande valor, tanto para Estância como para toda a região. Salgado não tem um polo industrial, então é muito bom que exista aqui o Distrito Industrial de Estância para atender às nossas necessidades”, evidencia.

Produção de cerveja

Todas as etapas de produção de cerveja passam por testes de degustação, como conta o mestre cervejeiro Alan Veras. “Todo e qualquer produto só pode avançar para outra etapa se cada etapa for aprovada no teste sensorial. Também temos várias análises físico-químicas, porém nenhuma análise substitui a análise sensorial. Isso garante que a cerveja vá para o consumidor com a qualidade ideal”, explica.

No processo de produção, as latas percorrem um longo caminho através de uma estrutura tecnológica, como detalha o operador de envase Lucas Aragão. “A lata vazia passa pela lavagem, desce pelo transporte e entra na ‘enchedora’ para retirar o oxigênio. Em seguida, a lata é preenchida com a cerveja e gaseificada com CO2. A lata cheia segue para a ‘recravadora’, que faz a pressurização da tampa na lata. As latas cheias passam ainda pela pasteurização, o que aumenta a validade da cerveja”, conclui.

Fotos: Arthuro Paganini