Última atualização em 17/05/2024 às 07:48:02

Sistema Sedetec esteve presente com o ITPS, Codise, SergipeTec e Jucese

 

A 12ª edição do projeto itinerante ‘Sergipe é aqui’ aconteceu nesta sexta-feira, 6, no município de Ilha das Flores, a 133 quilômetros de Aracaju. A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec) esteve presente levando diversos serviços e orientações à população local.

Entre as atividades disponibilizadas nesta edição estavam a distribuição de 200 mudas de espécies frutíferas e nativas florestais, por meio do SergipeTec; prospecção de novos negócios; divulgação do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI) e Cadastramento Prévio do Empreendedor, por meio da Companhia do Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise); além de emissão de certidões on-line (simplificada, específica e inteiro teor), além de diversas informações sobre abertura e andamento de processos para empresas por meio da Junta Comercial de Sergipe (Jucese).

Além disso, o Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) ofertou, gratuitamente, 30 análises de solos para agricultores familiares do município e promoveu orientações sobre análises de água e de mel de abelha e informações sobre as balanças rodoferroviária e de gado. “Nós sabemos que aqui em Ilha das Flores tem alguns produtores de mel, por isso trouxemos a equipe do laboratório de bromatologia e alguns testes qualitativos para que a população pudesse entender quando o mel é adulterado e quando é verdadeiro”, explicou a coordenadora do laboratório, Karina Magna Leão, apresentando, em seguida, alguns dados técnicos sobre o produto.

As explicações da coordenadora foram atentamente ouvidas pelos estudantes da Escola Municipal Formosa, a exemplo de Nathálya Lima, que está no 6º ano do ensino fundamental. “Achei muito interessante, porque são coisas que até então eu não sabia. Eu entendi que quando o mel é falsificado ou quando tem muita água pode prosperar bactérias que podem fazer mal pra gente e que o mel falsificado tem mais açúcar que o normal”, detalhou.

Já a apicultora Jucilene Santos, que está no ramo há seis anos e que também é professora municipal, reconhece a importância do evento, para a divulgação das atividades que são desenvolvidas no município. Para ela, o ‘Sergipe é aqui’ é indispensável para quem vive do próprio negócio e para o desenvolvimento de Sergipe. “Para quem não sabe, na apicultura a gente trabalha com o pólen agrícola. É um produto muito rico e o Brasil inteiro conhece. Em Sergipe temos o apoio do ITPS, onde nosso produto é analisado e pesquisado, para ser comercializado e reconhecido. Isso nos dá muita segurança”, pontuou.

Distribuição de mudas

A distribuição de mudas promovida pelo SergipeTec é um dos pontos fortes do ‘Sergipe é aqui’ e atrai pessoas de todas as idades interessadas em levar para sua casa ou sítio um exemplar de árvores frutíferas ou nativas. O quilombola José Jorge Costa, do povoado Bongue, fez questão de levar uma muda para sua casa. “Recebi uma muda de canela, para plantar na beira do Rio, no Baixo São Francisco. Acho essa ação ótima e é muito gratificante para nós da cidade ver que temos uma prioridade do Governo em estar recebendo esse projeto aqui na cidade”, comemorou.