Última atualização em 12/07/2024 às 09:38:10

Fábrica Serra Azul, instalada em Nossa Senhora do Socorro, é referência em produtividade e conta com incentivos do Governo do Estado via PSDI

Localizada no Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro, em Sergipe, a indústria de cerâmica Serra Azul destaca-se como a maior e mais produtiva unidade do grupo Carmelo Fior no Brasil. Instalada no estado desde 2011, a fábrica sergipana contribui significativamente para a produção de revestimentos do grupo, somando 3 milhões de metros quadrados mensais. Esta atuação é possibilitada pelo apoio do Governo de Sergipe, por meio dos incentivos fiscal e locacional concedidos através do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), que ajuda a atrair para Sergipe os olhares do mundo.

O Brasil é reconhecidamente um grande player no mercado internacional de cerâmica, sendo o terceiro maior produtor e o sexto maior exportador, com vendas para mais de 110 países. Com a fábrica em Sergipe, o grupo Carmelo Fior destaca-se como o sexto maior produtor de pisos e revestimentos do mundo, e o maior exportador de cerâmica do Brasil. Os dados são do Ranking Top 25 dos maiores produtores mundiais de cerâmica, classificados pelo volume de produção em 2022, publicado pela revista Ceramic World Review.

“Somos um grupo que abrange quatro unidades do ramo ceramista com matriz em Cordeirópolis, em São Paulo, produzindo em média 8 milhões de metros quadrados por mês no país. A unidade em Sergipe tem a maior produção do grupo todo. Somente aqui, produzimos 3 milhões de metros quadrados mensais, o que torna esta unidade a mais produtiva do grupo e com planos de expansão dentro do estado”, explica o gerente industrial Wolber Francato.

Wolber destaca que a empresa também figura entre os maiores consumidores de gás natural do estado. Tal posição é viabilizada pela política de incentivo fiscal do Governo de Sergipe, que oferece à Serra Azul e outras empresas redução do ICMS do gás natural para uso industrial.

Incentivos e empregos

O apoio do Governo do Estado possibilita que a empresa Serra Azul registre bons resultados dentro e fora de Sergipe. O PSDI é gerenciado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). O PSDI incentiva a instalação de novas indústrias e a ampliação daquelas já existentes, proporcionando a abertura de novos postos de trabalho. Atualmente, o PSDI beneficia 430 empresas que geram mais de 30 mil empregos.

A Cerâmica Serra Azul contribui para esse cenário com a geração de 400 empregos diretos. Um desses trabalhadores é o gerente de produção Paulo Lacerda, que trabalha há 17 anos no setor e acompanha todo o processo de transformação da matéria prima até o produto final. “Nesta empresa, comecei como coordenador de produção e atualmente sou o gerente de produção da fábrica. A cerâmica mudou e evoluiu muito com o decorrer dos anos, e tende a evoluir cada vez mais”, considera Paulo.

O procurador da Serra Azul, Antônio Agnus, concorda. “Sou o maior entusiasta do PSDI. Como bom sergipano, entendo que, se não houver incentivo, a empresa não chega para se instalar e nem evolui. Eu sei da importância do PSDI e do empenho do governo em divulgar todos os benefícios do programa para que mais empresas e indústrias façam parte do portfólio industrial de Sergipe“, observa.

Processo de produção

Na indústria Serra Azul, o processo de fabricação de pisos e revestimentos cerâmicos segue etapas rigorosas, desde o estudo inicial da argila até o acabamento, para garantir a qualidade e a durabilidade dos produtos. “Iniciamos com o estudo da argila para garantir sua compatibilidade com as características desejadas no produto final. Após o estudo, tem a extração, com a posterior recuperação da área”, informa. A extração de argila, matéria prima principal da cerâmica, acontece em Sergipe mesmo, em municípios como Poço Verde, Simão Dias, Lagarto e Riachuelo.

Ainda de acordo com o gerente industrial, após o estudo, a matéria-prima é então levada para a fábrica, onde é misturada em um blend e moída para alcançar a granulometria correta. “Em seguida, o material moído passa pela prensa para conformação e depois pela esmaltação para conferir características como impermeabilidade, brilho ou antiderrapância. Após a decoração, as peças são queimadas em forno e depois esfoliadas, retificadas, embaladas e armazenadas no estoque”, descreve Wolber. Cerca de 80 variedades de produtos compõem o catálogo da marca própria Arielle.

Tecnologia e inovação

O controle de qualidade é um dos grandes focos da Serra Azul, e a tecnologia desempenha um papel crucial no processo operacional de averiguação. Um exemplo do uso dessa tecnologia é a máquina que realiza a leitura dimensional do produto, classificando-o automaticamente como material adequado ou inadequado, como explica o supervisor de manutenção na classificação da Serra Azul, Douglas de Melo.

“Com as máquinas, conseguimos monitorar nosso produto e entregar uma qualidade melhor ao cliente final. Hoje, a tecnologia é essencial na indústria. A máquina que opero, além de classificar o material, também se comunica automaticamente com a máquina seguinte, que determina em qual box o produto será colocado e qual impressão será feita nele”, detalha Douglas.

Sergipe no mercado

O presidente da Codise, Ronaldo Guimarães, destaca que o Distrito Industrial de Socorro, onde a Cerâmica Serra Azul está instalada, simboliza uma das maiores concentrações de indústrias incentivadas pelo PSDI em Sergipe. “A região é estratégica por sua proximidade com importantes rotas de entrada e saída de mercadorias no estado, como a BR 101. A disponibilidade de mão de obra e insumos é outro diferencial. Tudo isso se soma aos incentivos do PSDI, tornando a área atrativa à chegada e expansão de indústrias”, afirma.

O secretário da Sedetec, Valmor Barbosa, considera que ações como o PSDI têm possibilitado que Sergipe fortaleça sua posição no mercado brasileiro e internacional. “Com o apoio do PSDI e os incentivos oferecidos pelo programa, estamos contribuindo para fortalecer a base industrial do estado e criando novas oportunidades de emprego e renda para o povo sergipano. O volume e o dinamismo da produtividade da Cerâmica Serra Azul em Sergipe mostra que somos um estado competitivo, com grande potencial para o desenvolvimento de negócios”, conclui.