O Presidente da CODISE, Eugênio Dezen, O Secretário de Desenvolvimento Econômico, José Augusto Pereira de Carvalho, acompanharam na tarde do dia 15 do recebimento de parte das peças que serão utilizadas na Termoelétrica Porto de Sergipe.

A Porto de Sergipe terá capacidade para produzir 1,5 mil megawatts (MW) de energia, com taxa de eficiência de 62,22%. Quando em funcionamento, e energia gerada pela usina deverá ser suficiente para atender 15% da demanda do Nordeste e faz parte do que será o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda, que prevê a implantação de mais duas usinas de geração termoelétrica: UTE Marcelo Déda e UTE Laranjeiras, poderá gerar até 3 mil megawatts de energia.

Investimentos 

Além da UTE Porto de Sergipe, um terminal de regaseificação será criado e operado pela Golar na costa de Sergipe, próximo às instalações do TMIB – Terminal Marítimo Inácio Barbosa. A realização desse investimento abrirá grandes oportunidades de investimentos na cadeia produtiva de petróleo, gás e energia em Sergipe, inclusive em razão da oferta de gás natural que poderá ser fornecido a partir do Terminal de Regaseificação.

O investimento recorde abrirá caminhos para outros investimentos. O Governo de Sergipe e CELSE planejam ampliar a geração de energia termelétrica com os projetos Laranjeiras II e Marcelo Déda, também integrantes do Complexo de Geração de Energia, o que totalizará a geração de 3 GW. Ademais, funcionará também como um atrativo para investimento em outros setores de geração de energia renovável. 

A norte-americana General Eletric (GE) vai fornecer o equipamento para a Usina Termoelétrica. Em 2017, a GE Power Eletrics assinou extensão de contrato com a Celse no valor de US$ 216 milhões. Com isso, o contrato total da GE com a Celse vai US$ 1,116 bilhão. O contrato prevê a operação e manutenção, além de soluções digitais que poderão melhorar a eficiência da Termoelétrica Porto de Sergipe, a maior da América Latina.

A ExxonMobil fechou acordo para se tornar fornecedora exclusiva de Gás Natural Liquefeito (GNL) à Termelétrica Porto do Sergipe. O acordo também deverá se estender a outros projetos. O tratado deverá abranger todas as fases de desenvolvimento da usina, que possui uma capacidade de geração estimada em até 1,5 GW e está prevista para iniciar suas operações em 2020.

Complexo de Energia 

A UTE Porto de Sergipe integra o Complexo de Geração de Energia Governador Marcelo Déda e será a maior do gênero na América Latina. Orçada em R$ 5 bilhões, maior investimento feito pela iniciativa privada no estado, a UTE, em funcionamento, gerará 1.700 empregos diretos.

A Usina está prevista para entrar em plena operação em janeiro de 2020 e terá a capacidade de gerar 1,5 mil megawatts (MGW) de energia elétrica. Para dimensionar o empreendimento, deve-se assinalar que a UTE Porto de Sergipe poderá atender a 15% da demanda de toda a região Nordeste. Quando consolidado, é um projeto que equivale a Usina de Xingó.

O investimento recorde abrirá caminhos para outros investimentos. O governo de Sergipe planeja ampliar a geração de energia termoelétrica, utilizando gás natural, com os projetos Laranjeiras II e Marcelo Déda, também integrantes do Complexo de Geração de Energia, o que totalizará a geração de 3 GW. Ademais, funcionará também como um atrativo para investimento em outros setores de geração de energia renovável.

Com informações da Agência Sergipe de Notícias