Última atualização em 20/05/2024 às 10:33:05

Petrobras apresentou projeto em águas profundas; Eneva e TAG abordaram gasoduto de interligação; e Carmo Energy falou sobre campos terrestres

Sergipe está no foco do debate nacional do setor de óleo e gás durante a segunda edição do Sergipe Day, que acontece nesta terça-feira, 12, no Rio de Janeiro. Na programação da manhã, empresas que atuam no estado apresentaram investimentos no setor e a infraestrutura para o desenvolvimento em Sergipe, no primeiro Painel Técnico da programação. O Sergipe Day é promovido pelo Governo do Estado, em parceria com a FGV Energia.

O menor estado do Brasil se destaca pela grande perspectiva futura na área energética, com a descoberta de reservas substanciais em águas profundas. Além disso, o estado também possui relevantes campos em terra. Diante desse cenário, as empresas que possuem atuação no setor energético sergipano – Petrobras, Eneva, TAG e Carmo Energy – apresentaram seus panoramas no estado. A moderação do painel foi feita pela FGV Energia, por meio do superintendente Márcio Couto.

Novos campos no mar

A Petrobras está desenvolvendo o projeto Sergipe Águas Profundas (Seap), que representa a exploração de uma nova fronteira de petróleo e gás natural para o país. Quando estiver em operação, o Seap terá a capacidade de disponibilizar ao mercado 240 mil barris de petróleo por dia e 18 milhões de metros cúbicos de gás por dia. Além disso, o Seap contará com um gasoduto de escoamento.

O diretor da Petrobras, Carlos Travassos, informou também que a empresa prevê o início da execução do Seap ainda em 2024. “Reabriremos o recebimento de propostas para as unidades flutuantes FPSOs em junho. Caso não tenhamos êxito novamente, já estamos projetando duas unidades próprias. Este projeto é importantíssimo para a Petrobras. É um óleo de excelente qualidade, com baixo teor de contaminante. Serão mais de 600 quilômetros de linhas submarinas e 120 quilômetros de gasodutos. A logística do Porto de Sergipe – TMIB é fundamental nesse processo. Além disso, tem o investimento de 1,6 bilhões de dólares para o descomissionamento de 26 unidades”, revelou.

Gasoduto de interligação

A infraestrutura para escoamento de toda essa produção foi um dos pontos destacados no painel. Em Sergipe, está localizado o primeiro Terminal Privado de gás natural liquefeito (GNL) do país, pertencente à Eneva. Em parceria com a Transportadora Associada de Gás (TAG), a empresa está construindo um gasoduto de interligação do terminal à malha nacional de transporte da TAG.

O diretor executivo de Marketing, Comercialização e Novos Negócios da Eneva, Marcelo Cruz Lopes, destacou a importância da implantação do gasoduto para a expansão do mercado de gás natural no país e aproveitou o evento para lançar a Mesa de Gás Eneva. “A conexão do Hub Sergipe à malha da TAG marca a entrada da Eneva no mercado de gás natural. O Hub Sergipe tem uma posição estratégica e será potencializado com a chegada do gás do Seap. Lançamos aqui a Mesa da Gás da Eneva, que traz soluções que o mercado busca e será o elo entre a cadeia de consumo e a molécula do gás”, apresentou.

A previsão é que o gasoduto de interligação à malha nacional esteja em plena operação comercial no segundo semestre de 2024. O gasoduto terá 25 quilômetros de extensão e cruzará os municípios sergipanos de Barra dos Coqueiros, Santo Amaro das Brotas e Rosário do Catete, possibilitando a conexão de novos agentes ao sistema integrado de transporte.

Responsável pelas operações de infraestrutura da TAG na América Latina, Eduardo Farhat destacou que a obra do gasoduto de interligação possui um investimento de R$ 340 milhões com geração de mais de 500 empregos, sendo 70% de mão de obra sergipana. “O primeiro projeto que a gente fez de expansão da malha foi o de Sergipe. É uma porta que permite que o estado seja um player nacional. A TAG está presente de uma maneira muito relevante na economia e no funcionamento de diversas atividades nos estados por onde passa”, apontou.

Campos em terra

No onshore, ou seja, na produção em terra, Sergipe conta com o Polo Carmópolis, administrado pela Carmo Energy. O polo detém um dos maiores campos terrestres do Brasil e o mais antigo de Sergipe. Além dele, dez campos compõem o polo. O investimento é de pelo menos US$ 596 milhões até 2032.

O gerente Regulatório na Carmo Energy, Philipe Passos, ressaltou que, em menos de um ano de atividade, a empresa gerou mais de quatro mil empregos diretos e indiretos em todo o estado e aumentou consideravelmente a produção. “O Polo Carmópolis tem 11 concessões espalhadas entre 21 municípios, com 26 estações coletoras, 350 quilômetros de gasodutos e oleodutos, 3674 poços e previsão de mais 170 novos poços. Desde o início da operação, a produção passou de 3,8 mil para 7,9 mil barris de petróleo por dia. O estado tem as condições necessárias, tanto regulatórias quanto de oferta de mão de obra e serviço, para desenvolver nossas atividades. Esperamos contribuir ainda mais com o desenvolvimento de Sergipe”, disse.

O Sergipe Day conta com patrocínio da Eneva, Transportadora Associada de Gás (TAG), Banco do Nordeste, Carmo Energy, Commit Gás, Diamante Energia e (re) energisa.