A pouco mais de 30 quilômetros de Aracaju, uma indústria têxtil está há 21 anos movimentando a cidade de Maruim e gerando emprego e renda para a população daquela região. A Colortextil Nordeste é a filial sergipana do grupo mineiro Colortextil e atua em Sergipe na fabricação de tecidos. A empresa conta com incentivos fiscais do Governo do Estado, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI) e gera, atualmente, 85 empregos diretos, número que chegará a 90 no mês de maio.

Localizada em um imóvel centenário, construído pelo antigo grupo Maisa (Maroim Industrial S/A) e que foi uma fábrica de fios do grupo Constâncio Vieira, a Colortextil surpreende pela estrutura física e operacional. Ao todo, 63 máquinas produzem oito tipos de artigos, como forros para cortinas, calçados, sutiãs, entre outros itens, fornecendo materiais para outras indústrias do país.

A produção média é de 15 toneladas de tecidos por dia e a expectativa é de que esse número aumente para 16,5 toneladas a partir do mês de maio, quando quatro novas máquinas chegarão da Alemanha para incrementar a produção. “Adquirimos recentemente 12 novas máquinas alemãs, que são as mais modernas e mais eficientes do mercado. Oito já chegaram e ainda estamos aguardando mais quatro, que entrarão em produção em maio. Com essa aquisição, investimos cerca de R$ 6,2 milhões, e aumentamos o número de empregos gerados”, explica o diretor industrial, Guilherme Nogueira.

A expansão da Colortextil Nordeste não deve parar por aí. Um novo galpão já está finalizado e outro está em fase final de obra, para que, em 2022, a linha de produção seja ampliada. A previsão é de que sejam adquiridas 14 novas máquinas, que devem produzir mais 5 toneladas de tecidos por dia, em uma área de mais de 800m2 A indústria utiliza matéria prima da China e da Índia, importando quatro contêineres de material por semana.

“Ficamos muito satisfeitos quando vemos uma indústria do porte da Colortextil investindo e acreditando em Sergipe. Eles são um grupo sólido, que se instalou aqui há muitos anos e que, mesmo com todo esse tempo, continua apostando no Estado”, pontua o secretário de estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho, que junto com o presidente da Codise, José Matos, o diretor técnico, Luiz Mário e o diretor financeiro, Gildo Xavier, fez uma visita de cortesia à indústria na última terça-feira (23).

Incentivos

Durante a visita, o presidente da Codise, José Matos, pode lembrar alguns tópicos importantes do PSDI, do qual a Colortextil Nordeste recebe incentivos fiscais, além de reforçar a importância do Programa para o crescimento da empresa. “A Colortextil é uma fábrica que muito tem contribuído para a geração de empregos na região de Maruim, fruto de um trabalho sólido do grupo do qual participa, bem como do Governo do Estado, por meio do PSDI. Confiamos que eles continuarão com esse trabalho e essa parceria com Sergipe por muitos e muitos anos”, observa.

Para Guilherme Nogueira, o PSDI é uma ferramenta fundamental para empresas que se instalam em Sergipe porque oferece condição de ser competitivo. “A gente está a 2000 quilômetros dos grandes consumidores têxteis do Brasil. E, nesse sentido, o PSDI é fundamental para fomentar a indústria aqui na região. Além disso, o relacionamento com o Governo sempre foi muito bom. Temos bom acesso e, em todo problema que aparece, as pessoas nos auxiliam na resolução com rapidez. Sem dúvidas, Sergipe é um estado muito acessível para o industrial”, finaliza o diretor industrial da Colortextil.