Última atualização em 20/05/2024 às 10:33:05

Entre as principais ações estão o fomento à economia do estado e a implementação de políticas para a ciência e tecnologia

Ao longo de 2023, o Governo de Sergipe colocou o desenvolvimento econômico como pauta prioritária da gestão, com sua atuação voltada para a geração de emprego e renda para os sergipanos, o fortalecimento da cadeia energética do estado e a busca ativa na atração de empresas e investimentos. A promoção da pesquisa científica e da inovação tecnológica também ocuparam um espaço de protagonismo no decorrer deste ano, com investimentos em projetos e ações realizadas pelos órgãos vinculados à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec).

“Este primeiro ano à frente da pasta do desenvolvimento econômico e da ciência e tecnologia foi de muito trabalho, mas também de planejamento de metas para os próximos anos de gestão. Conseguimos resultados significativos que alavancaram o desenvolvimento do nosso estado e a pesquisa científica. Estamos alinhados à forma de trabalho do governador Fábio Mitidieri, que faz questão de receber os empresários que se interessam por Sergipe e é favorável a todas as medidas que valorizem os pesquisadores sergipanos”, comenta o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.

Durante este ano, Sergipe se consolidou como o estado com as melhores e mais modernas práticas regulatórias e legais do país, a partir da homologação do Novo Regulamento de Gás Canalizado, construído pela Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese), e que teve colaboração importante da Sedetec. Com este avanço, Sergipe alcançou o 1º lugar na última atualização do Ranking do Mercado Livre de Gás Natural (Relivre). Tal conquista posiciona o estado como um local que facilita a atração de empresas e investimentos, com base na desoneração, simplificação e agilidade nas transações entre os agentes de mercado.

Também relacionado ao setor energético do estado, 2023 foi marcado pelo início da obra de construção do gasoduto de transporte de gás natural e infraestruturas de acesso do Terminal de Armazenamento e Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) da Eneva à malha da Transportadora Associada de Gás (TAG), que contará com 25 km de extensão, cruzando os municípios da Barra dos Coqueiros, Santo Amaro das Brotas e Rosário do Catete. “A operação desse gasoduto possibilitará novos negócios na área do gás em Sergipe, além da oportunidade de atender aos consumidores livres, que poderão fazer aquisição do próprio gás, através do terminal de GNL”, destaca o secretário executivo da Sedetec, Marcelo Menezes.

A ampliação da rede de distribuição de gás no estado também é uma das prioridades da área. Neste ano, a Sergipe Gás (Sergas) aplicou, até o mês de outubro, investimentos da ordem de R$ 211.613,82 mil na interiorização do gás natural em sete municípios: São Cristóvão, Laranjeiras, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro, Rosário do Catete, Estância e Carmópolis. No mesmo período, a Sergas também expandiu sua rede, atingindo a marca de 300 quilômetros de dutos instalados. Dos 274 quilômetros já existentes até então, foram implantados 26 quilômetros apenas em 2023, cerca de 10% do total da extensão.

Outra novidade deste primeiro ano de gestão foi a realização da primeira edição do ‘Sergipe Day’, em São Paulo, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), com a finalidade de apresentar as potencialidades de Sergipe e atrair investidores. Além disso, o Governo de Sergipe, por meio da Sedetec, também marcou presença em feiras internacionais e nacionais, como:  Offshore Technology Conference (OTC), em Houston; 51ª edição da Gastech, em Singapura; e Feira Internacional de Negócios (FIN 2023), em Santa Catarina, entre outras.

Planejamento para o futuro

Além do setor energético, a pasta do desenvolvimento econômico também voltou sua atenção para a estruturação do Complexo Industrial Portuário. Gestores da Sedetec e da Companhia do Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise) estiveram à frente de reuniões realizadas periodicamente, com representantes de empresas e consultorias técnicas, que realizam os estudos nas áreas analisadas para definir as poligonais referentes aos dez municípios que compõem o complexo.

Na perspectiva de fomento a geração de emprego e renda para o estado, até novembro, o Governo incentivou, por intermédio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), 23 empresas, com expectativa de geração de 1.058 empregos, totalizando investimentos previstos da ordem de R$ 355.622.210,00. Além disso, a Sedetec e a Codise captaram R$ 890 mil, oriundos do Tesouro, para a reforma de um galpão em Carira que abrigará, em breve, uma indústria calçadista.

Segundo o presidente da companhia, Ronaldo Guimarães, a expectativa para 2024 é a captação de investimentos significativos para o desenvolvimento da área. “Planejamos revitalizar os distritos industriais de Propriá e Estância, além de construir, ampliar ou reformar mais quatro galpões industriais. Essas intervenções nas áreas produtivas administradas pela Codise são exemplos de investimentos que vão interferir positivamente na vida do cidadão”, detalha.

Outra conquista deste primeiro ano de gestão foi a liderança do estado no ranking nacional de agilidade na abertura de empresas. De acordo com a Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese), foram abertas 5.099 empresas em Sergipe até novembro de 2023, com o tempo médio de seis horas para a constituição. No Brasil, o tempo médio de abertura de empresas nesse mesmo mês foi de 29 horas.

Investimentos em ciência, tecnologia e inovação

Para 2023, foi adotado um orçamento de R$ 15.082.423,00, aprovado pelo Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Concit), que é administrado pela Sedetec, gestora do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funtec), para a implementação da política de ciência, tecnologia e inovação no estado. Tal recurso é destinado a órgãos como a Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS), Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) e o The Human Project [antigo IPTI].

Esse ano também foi marcado pelo reajuste das bolsas vinculadas ao Governo do Estado, por meio do Funtec. Em março, o Governo anunciou o primeiro reajuste, que variava entre 25% e 100%. Já no mês de agosto, o governador de Sergipe, Fábio Mitidieri, reajustou, mais uma vez, o valor das bolsas para editais e acordos firmados a partir do mês de agosto. Com essa medida, os valores das bolsas do Governo do Estado foram equiparados às bolsas vinculadas ao Governo Federal.

Além disso, até o momento, a Fapitec aplicou R$ 14.318.975,00, captados por meio de organismos federais e órgãos estaduais, em atividades de pesquisa que contribuem para o desenvolvimento social e econômico do estado. Com resultados expressivos esse ano, a fundação promoveu 22 editais, concedeu 699 bolsas para estudantes de diferentes níveis de ensino, 232 auxílios a pesquisadores vinculados a instituições de ensino e pesquisa de estado, e apoiou 23 empresas voltadas para pesquisa e inovação, com resultados de subvenção econômica para o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores. “No próximo ano pretendemos lançar 24 editais para apoiar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação em diversas áreas do conhecimento”, destaca o presidente do órgão, Alex Garcez.

Já o ITPS se consolidou em 2023, como um importante órgão de fiscalização, análises e pesquisa do Estado. Até o momento, 126.796 mil análises laboratoriais foram realizadas em 9.756 amostras enviadas aos laboratórios de química de águas (LQA); bromatologia; ensaios inorgânicos; microbiologia; solos e química agrícola; e química orgânica.  Além disso, por meio do convênio com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), foram realizadas, até o mês de outubro 29.601, verificações periódicas de instrumentos de medição; 14.636 exames realizados em Produtos Pré-embalados; e 16.867 ações de fiscalização.

“Nosso objetivo no ITPS é garantir a qualidade de nossos serviços de fiscalizações, análises e pesquisas. Com cem anos de existência, nos consolidamos na relação com a sociedade e demais órgãos do governo e por meio de convênios fortes, em que buscamos eficácia e qualidade para atender a sociedade”, garante o diretor-presidente do ITPS, Kaká Andrade.

Também neste ano, o SergipeTec obteve resultados satisfatórios com a elaboração do atlas eólico e solarimétrico; 27 espaços empresariais ocupados por empresas de bases tecnológicas; implantação de dez laboratórios de pesquisa e desenvolvimento; e duas biofábricas. “Quem ganha com esse resultado são os pesquisadores, professores, alunos e a comunidade em geral”, ressalta o diretor presidente do SergipeTec, José Augusto de Carvalho.

Já para o The Human Project, que possui contrato de gestão com a Sedetec, seguiu aplicando tecnologias sociais a jovens de Santa Luzia do Itanhy. “Procuramos fomentar a ciência, a tecnologia e a inovação no nosso estado. No próximo ano queremos fazer ainda mais. Traçamos uma meta e vamos trabalhar muito para tirar os planos do papel e colocá-los em prática”, finaliza o secretário de estado do Desenvolvimento econômico e da Ciência e Tecnologia, Valmor Barbosa.