Com suporte fiscal e locacional, Estado vem viabilizando chegada e implantação de novos negócios

Focado em viabilizar a implantação e expansão de empresas em Sergipe, o Governo do Estado vem contemplando diversos empreendimentos com incentivos via Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI). Nos últimos dois anos, 48 empresas foram beneficiadas pelo programa, entre aprovadas e implantadas. Somente entre as aprovadas em 2020 e 2021, o investimento garantido para Sergipe é da ordem de R$ 466 milhões. Os novos empreendimentos se estendem por todo o território sergipano, representando incrementos em emprego e renda para a população.

Em 2021, 18 empresas tiveram seus incentivos fiscais e locacionais aprovados no Estado via PSDI, em segmentos como fertilizantes, alimentos, cerâmica, metais e vidros, entre outros. Além de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Tobias Barreto, Canindé do São Francisco, Nossa Senhora do Socorro, Campo do Brito, Estância, Itabaiana, Boquim, Laranjeiras, Simão Dias e Rosário do Catete sediarão os novos empreendimentos. Ao todo, 1.291 empregos diretos devem ser gerados, com investimento total superior a R$ 145 milhões.

“Além dos empregos gerados de forma direta pelas empresas aprovadas e implantadas, há também os indiretos. São fornecedores, transportadores, mão de obra, serviços e toda uma cadeia que se desenvolve e expande ao redor dessas empresas, gerando um retorno ainda maior para o estado em vagas de trabalho e investimentos”, afirma o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise), José Matos. A Codise é o órgão através do qual o Governo conduz o PSDI.

No ano de 2020, 12 empresas foram aprovadas no PSDI. Somados, esses empreendimentos são responsáveis por um montante de R$ 321 milhões em investimentos para Sergipe. As indústrias vinculam um total de 845 empregos diretos, que se espalham pelos municípios de Aracaju, Carmópolis, Laranjeiras, Tobias Barreto, Itaporanga D’Ajuda, Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros e Santa Rosa de Lima. Os incentivos fiscais e locacionais compreendem ramos diversos, como o alimentício, o de fertilizantes e o de confecções.

A Lutchi Cafés foi uma das empresas contempladas pelo PSDI em 2020, que iniciou seu processo de implantação já em janeiro de 2021. Com investimento superior a R$ 1,3 milhão, a empresa especializada em moagem e torrefação de cafés especiais ergueu seu parque fabril com extensão de 1.120 m² no Distrito Industrial de Socorro, contando com incentivos fiscais e locacionais do PSDI.

“Utilizamos mão de obra local na construção e, em setembro de 2021, já começamos nossa produção, bem antes do previsto. Inicialmente, estamos distribuindo em âmbito local, em redes de supermercados da capital, e via e-commerce. Desde o início, contamos com o suporte do Governo, que nos apresentou a área de Socorro e deu todas as condições para que nos instalássemos. É um espaço em grande expansão”, afirma o sócio-administrador da Lutchi, Antônio Mendonça.

Implantações

Ao longo de 2021, nove empresas contempladas pelo PSDI foram implantadas em Sergipe. Com projetos aprovados no programa a partir de 2016, os empreendimentos foram instalados nos municípios de Nossa Senhora do Socorro e Itabaiana. As novas empresas, que receberam incentivos fiscais e locacionais, atuam nos ramos de alimentação, móveis, cosméticos e equipamentos eletroeletrônicos, entre outros. No total, 89 empregos diretos foram gerados pelas empresas, com investimento geral de R$ 10.794.480,83.

Em 2020, o número de empresas implantadas no estado com incentivos do PSDI foi de 12, com projetos aprovados a partir de 2012. No total, sete empresas se instalaram em Socorro, quatro em Tobias Barreto e uma em Propriá. Foram gerados 263 empregos diretos a partir das novas implantações, nos setores de comércio atacadista, confecção, estruturas metálicas, embalagens e limpeza, entre outros. O investimento total, em 2020, foi de R$ 29.048.089,00.

A Codise, entidade gestora do PSDI, é vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). Para o secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho, o programa tem importância estratégica no momento de retomada econômica e no contexto do programa Avança Sergipe.

“Através do PSDI, o Governo vem garantindo subsídios para fortalecer o setor industrial, criando condições reais para a recuperação e o fomento à economia. Os resultados deste trabalho podem ser vistos no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Sergipe, entre outros indicadores que apontam o potencial de projeção do estado nesta fase”, finaliza.