Última atualização em 17/05/2024 às 07:48:02

Desde 2015, a empresa emprega moradores da região

O Distrito Industrial do município de Nossa Senhora do Socorro, em Sergipe, é casa para muitas empresas que recebem benefícios fiscais ou locacionais do Estado. Uma delas é a Super Carnes Indústria e Comércio de Alimentos Ltda. Com uma linha de produção focada na fabricação de derivados de carne animal, a empresa possui uma receita anual que gira em torno de R$ 105 milhões, e é uma das diversas empresas distribuídas por Sergipe que conta com incentivos do Governo do Estado, por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI).

Estabelecido em Socorro desde 2015, o empreendimento é responsável pela produção de diversos produtos derivados da carne, como frangos temperados, carne do sol, charque, cortes suínos e bovinos, além do carro-chefe da empresa, os espetinhos de coração, medalhão, entre outros. Para o tempero das carnes, a fábrica adquiriu, recentemente, um maquinário que possibilita o trabalho com até 700 quilos de produto, aumentando assim a produção da indústria.

O processo de fabricação se inicia desde a compra dos produtos em diversos estados do país, como o Paraná e Tocantins. A gerente administrativa da SuperCarnes, Jacqueline Lima da Silva, explica como funciona a logística diária da fábrica. “Nós realizamos o descarregamento de rotas diárias. Além disso, fazemos todos os dias rotas para um determinado local, com determinados produtos, ou seja, seguimos um padrão, praticamente”, detalha. Ela também informa que a empresa possui todo maquinário responsável pelas embalagens dos produtos.

Atualmente, as principais atividades da fábrica estão voltadas para a área de produção e fabricação própria. Já o mercado consumidor é principalmente supermercados e açougues de todo o estado. De acordo com a gerente administrativa da empresa, existe um produto específico que é mais procurado por esses clientes. “A gente tem uma grande procura por produtos temperados. Eles compram com a gente para revender em seus empreendimentos”, lembra.

EMPREGOS

A SuperCarnes, hoje, emprega cerca de 100 funcionários, de forma direta e indireta. Durante períodos específicos, como carnaval, festejos juninos e festas de final de ano, onde a empresa precisa intensificar a produção de determinados produtos, torna-se necessário realizar contratações temporárias. “Fazemos essas contratações no final do ano, já que o pessoal adquire muito os frangos temperados. No carnaval e nos festejos juninos, batemos recorde de venda de espetinhos porque são várias festas públicas e particulares que ocorrem em todo o estado”, explica Jacqueline.

Durante esses períodos, a fábrica chega a contratar cerca de 30 a 40 funcionários, sempre priorizando os moradores da região. “Nós fazemos contratos de 30 a 45 dias e alguns são renovados por mais 30 ou 45 dias, dependendo da demanda”, afirma a gerente administrativa.

Responsável pelo processo de produção da SuperCarnes, Mauricio dos Santos Silva é morador do município de Nossa Senhora do Socorro e se mostrou grato pela chance de trabalhar na empresa. “Trabalho na fábrica há três anos. Antes de começar aqui, estava fora do mercado e esse trabalho trouxe novas expectativas. Nós sabemos como está difícil conseguir emprego hoje em dia, então eu valorizo muito essa oportunidade”, pontua.

 

PSDI

Em 2015, ano de instalação da fábrica no Distrito Industrial de Socorro, a SuperCarnes foi beneficiada com auxílio fiscal e locacional do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), conduzido pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Sergipe (Codise). “É uma grande preocupação da empresa continuar com esse incentivo do Governo porque são diversas famílias que precisam desse emprego para sobreviver”, frisa Jaqueline Lima.

Com o aumento da produção, a empresa adquiriu um terreno ao lado da fábrica visando a ampliação do empreendimento. A pretensão é que ainda esse ano a expansão se inicie. “Nossas expectativas estão altas, por isso que esses incentivos são tão importantes, para que a gente consiga ir adiante e contratar ainda mais funcionários”, finaliza a gerente administrativa.