Última atualização em 20/05/2024 às 10:33:05

O investimento previsto é de aproximadamente R$ 3 bilhões, com a expectativa de que sejam gerados quatro mil empregos diretos durante as fases de construção e operacionalização

O governador de Sergipe, Fábio Mitidieri, recebeu nesta terça-feira, 28, uma comitiva de investidores internacionais, coordenada pela Oficina Brasileira de Projetos de Infraestrutura (OBPI), para discutir a implantação de duas usinas termelétricas movidas a gás natural em território sergipano. O investimento previsto pelas empresas chinesas V Power e CNTIC é de aproximadamente R$ 3 bilhões, com a expectativa de que sejam gerados 3.500 empregos durante a fase de construção, e outros 500 na fase de operação.A proposta é que ambas as usinas – a UTE Neópolis e a UTE Nova São Francisco – sejam construídas no município de Neópolis, na região do Baixo São Francisco, com um potencial de operacionalização de 299 MW. Segundo o projeto, o empreendimento funcionará, de forma inicial, com gás natural importado, passando a utilizar, posteriormente, gás associado da Bacia Sergipe – Alagoas.

“A construção dessas duas usinas termelétricas, com capacidade de operacionalização acima de 270 Megawatts, será de extrema importância para o nosso estado. Só para se ter uma ideia, isso dá praticamente um terço do que a usina termelétrica aqui da Barra dos Coqueiros produz. Trata-se de um investimento que vai atrair em torno de R$ 3 bilhões para o nosso estado. Então, abrimos as portas de Sergipe, colocamos a nossa área técnica à disposição para ajudar no diálogo com a empresa VLI, que hoje administra o nosso porto, da mesma forma no diálogo com o Governo Federal. Tenho certeza de que logo teremos notícias boas em relação a este negócio”, avaliou Fábio Mitidieri.

Ao conhecer as potencialidades e expertises do grupo investidor, hoje reconhecido como um dos maiores da China na área de produção de energia, o governador de Sergipe também expôs os interesses e planos do Governo do Estado de construir um segundo porto no litoral sergipano. “Durante o encontro, eles nos apresentaram um vídeo em que destaca a expertise do grupo também na construção de portos e então expusemos o nosso desejo de consolidar uma parceria para construção desse segundo porto em nosso estado”, acrescentou.

Expectativas

O diretor Executivo da OBPI, André Barbosa, elogiou a receptividade do Governo de Sergipe para dar andamento aos projetos apresentados. “Aqui em Sergipe, encontramos um ambiente excelente de previsibilidade e segurança, que é o que a gente procura para atrair parceiros investidores. Nós temos um interesse especial no potencial de gás natural do estado e, a partir dessa disponibilidade de gás, nós trabalhamos alternativas para fazer com que empreendimentos sejam importados, seja na produção de energia, ou em fertilizantes”, explica.

De acordo com ele, o encontrou possibilitou um passo importante para a concretude do projeto. “Tivemos uma excelente impressão da gestão do estado, o governador nos passou bastante segurança e estamos bastante estimulados para iniciar”, frisou.

Os próximos passos, explica ele, seguem na direção do detalhamento dos investimentos, dos aspectos técnicos do projeto, para que, em seguida, as empresas possam se manifestar. “Isso pode se dar na forma de PNMI  ou coisa parecida”, conclui o diretor da OBPI.

Também estiveram presentes acompanhando a reunião o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia (Sedetec), Valmor Barbosa; o secretário da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), Zeca da Silva; o secretário Especial do Trabalho, Emprego e Empreendedorismo (Seteem), Jorge Teles; o presidente da Codise, Ronaldo Botelho Guimarães; e o secretário Especial do Gabinete do Governador, Tiago Andrade.

Foto: Arthur Soares