Última atualização em 20/05/2024 às 10:33:05

O governador Belivaldo Chagas se reuniu nesta terça-feira (20), no Palácio dos Despachos, com representantes da Carmo Energy, pertence ao grupo espanhol Cobra e que adquiriu, recentemente, campos terrestres (on shore) da Petrobras em Sergipe. Durante o encontro, a empresa anunciou para os próximos 10 anos, R$ 640 milhões em investimentos em inovação tecnológica e social em Sergipe.

“Com a retomada da produção de petróleo e gás em Carmópolis, teremos um novo polo de desenvolvimento econômico, pesquisa e inovação em Sergipe. As perspectivas são as melhores possíveis. A Carmo deve investir, aqui, cerca de R$ 640 milhões nos próximos 10 anos, não só retomando a produção de combustíveis, mas também criando um verdadeiro celeiro de inovação e tecnologia, gerando emprego e renda com projetos educacionais em todos os níveis e de fomento de startups. O processo de transmissão dos ativos está em fase avançada na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Combustível (ANP)”, disse o governador Belivaldo Chagas, que colocou o Estado à disposição da empresa. “Sabemos da capacidade do grupo e esse investimento nos anima e traz de volta a esperança. Portanto, no que depender do governo do Estado, estamos aqui para colaborar, afinal de contas, a gente precisa dessas parcerias para ajudar a desenvolver Sergipe”, reforçou o governador.

Segundo o CEO da Carmo Energy, Daniel André Solino Noleto, o intuito da reunião foi apresentar as perspectivas de investimentos, além de estreitar as relações com o Estado. “Entendemos que é importante fazermos essa aproximação com o Governo de Sergipe, por que a gente vai atuar muito forte no estado e pretendemos desenvolver importantes ações. Somos uma empresa voltada à área de energia e infraestrutura, que dentro da exploração de óleo de gás, hoje, no mundo, tem uma produção diária de 45 mil barris. E, agora, o polo Carmópolis representa o projeto mais importante o nosso workshop brasileiro”, disse o CEO, destacando a perspectiva de retomada do polo de Carmópolis. “A empresa está em processo de transição de ativos e depois de concluído o processo, devemos retomar a produção do polo. Esperamos chegar a níveis produzidos em 2012, isso quer dizer uma produção acima de 25 mil barris. E, para isso, teremos um alto investimento já nos próximos cinco anos”, informou.

A operação envolve os campos Carmópolis, Aguilhada, Angelim, Aruari, Atalaia Sul, Brejo Grande, Castanhal, Ilha Pequena, Mato Grosso, Riachuelo e Siririzinho. Entre janeiro e novembro de 2021, a produção média dos 11 campos foi de 7,6 mil barris de óleo/dia e 43 mil m³ de gás/dia. A operação de venda foi autorizada pelo Conselho de Defesa Econômica (Cade), em 12 de janeiro de 2022. A venda da totalidade da participação da Petrobras foi anunciada na penúltima semana de dezembro de 2021, pelo valor de US$ 1,1 bilhão.

Além das concessões dos 11 campos terrestres, o polo contempla acesso à infraestrutura de processamento, escoamento, armazenamento e transporte de petróleo e gás natural. O ativo integra ainda o Polo Atalaia, no qual está contido o Terminal Aquaviário de Aracaju (Tecarmo), e o oleoduto Bonsucesso-Atalaia, que escoa a produção de óleo de Carmópolis até o Tecarmo.

Inovação tecnológica e social

A empresa espera investir, nos próximos 10 anos, cerca de R$ 640 milhões somente em inovação tecnológica e social em Sergipe. O objetivo segundo explicou o gestor e pesquisador Fabiano Martins Carvalho, é promover à comunidade social de jovens vulneráveis o acesso à informação e prática de projetos de tecnologia. “A gente tem a oportunidade de unir a iniciativa privada com o poder público, com cientistas, como desenvolvedores inovadores e a estrutura que hoje é conhecida como Tecarmo. Desta maneira, parte dessa área vai ser destinada a fazer um grande banco de inovação, no qual a gente vai levar estruturas de laboratórios, de incubadoras, aceleradora de startups, para receber essas startups, que vão ser fruto desse investimento e desse trabalho junto com a universidade, com as redes estadual e municipais de educação”.

“A chegada da Carmo Energy é um momento muito importante para o estado. Então a expectativa é grande, desde o primeiro momento, nós no colocamos à disposição para apoiar em qualquer necessidade. Já tivemos algumas reuniões e esse momento é importante para conhecer os projetos da empresa, estreitar laços e parcerias produtivas, não tão somente da área de exploração de petróleo e gás, como também em outras ações que possam beneficiar o estado de Sergipe”, ressaltou o superintendente executivo da Sedetec, Marcelo Menezes.

A reunião contou ainda com a participação do gerente-executivo Mauro Elias Rocha Fernandes; do assessor jurídico Fernando Henrique Miranda da Cunha; do gestor Samuel Max Gabbay; do secretário de Estado da Fazendo, Marco Antônio Queiroz; do secretário da Sedetec, José Augusto Carvalho; do secretário da Seduc, Josué Modesto; do diretor-presidente da Sergas Valmor Barbosa; do diretor-presidente da Deso, Carlos Melo; e do diretor da Codise, Gildo de Souza Xavier.