Última atualização em 20/05/2024 às 10:33:05

Texto é o quarto da série iniciada pelo Parque Tecnológico, com autoria da pesquisadora Samia Maciel

A importância da fixação do nitrogênio no solo para a agricultura é tema de mais um dos artigos técnicos publicados pelo Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec). A série, que se destina a pesquisadores, agentes públicos e interessados em geral, aborda temas relacionados à matriz energética brasileira e sergipana. A pesquisadora do Núcleo de Energias Renováveis e Eficiência Energética de Sergipe (Nerees), Samia Maciel, é autora do novo texto, intitulado “O Nitrogênio e sua importância na fixação no solo”.

No link é possível ter acesso ao artigo completo, assim como aos demais textos que compõem a série. Até o momento, três artigos já foram publicados, abordando temas como o Atlas Eólico de Sergipe, o uso do Hidrogênio Verde e as ações do Nerees.

Confira a prévia do artigo:

O nitrogênio (N2) é um macronutriente, essencial para a vida, encontrado em diversos compostos orgânicos, como aminoácidos e ácidos nucleicos, faz parte do DNA, da água que bebemos, do ar que respiramos, bem como, responsável pelo crescimento das plantas [1, 2]. O nitrogênio gasoso está presente no ar atmosférico, apresentando um percentual na composição de 78%, sendo o gás mais abundante se comparado aos outros gases que compõem o ar, como oxigênio (21%), gás carbônico (0,03%) e gases nobres (0,91%) [3].

Apesar de sua grande disponibilidade na atmosfera, não significa dizer que se poderá utilizá-lo em sua totalidade. O nitrogênio não pode ser utilizado pela maioria dos organismos. Animais e plantas não aproveitam o nitrogênio, pois não conseguem converter o N2 em uma forma metabolizável, uma vez que não apresentam enzimas adequadas para capturar ou fixar o nitrogênio atmosférico [4]. Poucas espécies são capazes de empregá-lo dessa forma, sendo essa uma capacidade atribuída a alguns tipos de bactérias e cianobactérias [5].

O Ciclo do Nitrogênio é um ciclo biogeoquímico que garante que esse elemento circule pelos seres vivos e pelo ambiente. A capacidade de capturar o N2 é primordial para garantir que esse elemento consiga completar seu ciclo entre os componentes vivos e físico-químicos do planeta [5]. As plantas necessitam do nitrogênio em maior quantidade e sua indisponibilidade, torna-se um limitante para a produtividade das mesmas em ecossistemas naturais e agrícolas [1]. A baixa fertilidade natural dos solos aliada a deficiência hídrica de determinadas regiões são fatores que impactam negativamente na produção agrícola e em todos os aspectos relacionados ao desenvolvimento vegetal trazendo consequências nefastas para a agricultura.

Para continuar lendo, acesse o link.